Sim, Dylan de novo

Leia escutando esse som:

Pode parecer repetição e até certa tendência pessoal, mas não me preocupa. Já tinha visto o Experiência Dylan no Parque Vicentina Aranha e tinha sido musicalmente lindo, mas a proposta teatral da apresentação perdia um pouco do seu impacto ao ar livre.

No sábado passado do Mês da Música, a experiência foi diferente. Completa.

Cheguei antes, fui ao camarim e poderia agora estar chantageando figuras importantes com alguns nudes, mas fiquei satisfeito com um abraço e uma dose de cachaça que foi distribuída depois para todo público. Aliás, apesar da chuva torrencial de sábado, casa lotada.

O cenário está lá igual estava para Dylan em 1964 quando tocou Mr. Tambourine Man, aquele fundo listrado que na foto era preto e branco, mas no palco do Espaço Clemente Gomes está colorido. Uma máquina de escrever no canto, um banco de praça, luzes… já falei da cachaça? Acho que sim…

Cinco músicos, entre eles um ator, estão no palco para mostrar o Dylan escritor, ativista, polêmico, questionador, criativo, enfim, genial. E conseguiram. Apresentação coesa, com fluxo magnético, pequenas falhas imperceptíveis para o público em geral, guitarra com talento inquestionável, vocalizações afinadas e versões bem bacanas de clássicos como “Like a Rolling Stone”.

E depois do parágrafo para os fiscais de postura, o que dá pra dizer é que foi um show de lavar a égua. Sabe aquela noite que começa com um abraço e termina mais feliz? Pois o sábado passado do Mês da Música foi exatamente assim.

Compartilhe

Uma resposta para “Sim, Dylan de novo”

  1. Experiência Dylan é sempre uma experiência admirável!
    Não me canso de assistir e admirar!
    Viva a liberdade!
    Nossos ídolos…presente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *